Giro Ipiaú

Arquitetura vernacular de Canrobert Almeida no novo momento cultural de Ipiaú

Obra de taludamento na Rua 13 de Maio.
Sem muito
alarde, mas perceptível aos que estão atentos, Ipiaú vive um novo momento e
movimento cultural que pode ser coroado com a instalação do Centro de Cultura
ainda nesta gestão do prefeito Deraldino Araújo. O movimento se processa com
iniciativas na musica, artes plásticas, literatura e arquitetura, dentre outras
vertentes artísticas que se revelam em originalidade e estabelecem uma
vanguarda muito interessante. Nessa tendência podemos destacar as experiências
da engenharia alternativa de Canrobert da Silva Almeida, um filho da terra que
voltou para fazer história e contribuir com o desenvolvimento de sua cidade
através de técnicas simples, sustentáveis e de grande beleza arquitetônica. Formado
pela Escola Técnica da Bahia(ETFBa), Canrobert se especializou em edificações, pontes
e estradas, dedicando-se também à 
permacultura e à pesquisa de arquitetura vernacular que apresenta
caráter local ou regional e emprega recursos do próprio ambiente em que a
edificação é construída. 

No calçamento o baba tem mais estilo.

As
primeiras realizações de Canrobert, em Ipiaú, foram as obras de taludamento da
encosta e calçamento da periférica Rua 13 de Maio que serão inauguradas na
noite desta terça-feira, 1º de Julho, pelo prefeito Deraldino Araujo e   definitivamente tornarão o lugar, anteriormente
conhecido como “Má Rapado”, numa das referencias administrativas  do município. No taludamento, ou cais de
contenção, Canrobert utilizou uma técnica com base em sacos de areia e arame
farpado, denominada de superadobe, enquanto no calçamento adotou a técnica do
concreto agregado que envolve um composto de brita, areia e cimento. “Utilizamos
nesta obra um total de 12.000 sacos de areia de 50 kgs, 370 sacos de cimentos e
25.000 blocos cerâmicos. Tudo isso num custo de apenas R$ 120 mil”, informa Canrobert
Almeida. 

Canrombert concluindo os serviços na 13 de Maio.
O calçamento
da Rua 13 de Maio se estende por 184 metros lineares com 4,5 de largura, foi
realizado em dez dias e absorveu recursos na ordem de R$ 53.400,00. A
iluminação diferenciada, em estilo colonial, com postes em PVC e globos em toda
a extensão do caís que ganhou um visual multicolorido, completa o conjunto da
obra. A mão-de-obra das duas realizações foi constituída em sua maioria por
moradores da própria Rua 13 de Maio. Entusiasmado com o sucesso do projeto, o
prefeito Deraldino Araújo resolveu contratar os serviços de Canrobert, em
parceria com a empresa Bino Engenharia Ambiental, para a realização de outras
obras na cidade. Assim estão programadas as seguintes construções: escadaria
colonial, dotada de mirantes, no bairro São José Operário (antiga Invasão);
arquibancada da Área de Lazer Mané Grande (Baixada), com capacidade de
comportar 3.000 pessoas; calçamento e reurbanização das rua Amâncio Felix e
Miguel Benevides, além do taludamento da Rua da Banca.(Giro/José Américo
Castro). 

Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up