Giro Ipiaú

Manifestação de pais de alunos pedirá retorno das aulas presenciais em Ipiaú

Foto: Reprodução

Um grupo formado por pais de estudantes promove na manhã dessa quarta-feira (14) uma manifestação prevista para às 10h, na praça Rui Barbosa, em prol do retorno das aulas presenciais, de forma híbrida, respeitando os protocolos sanitários e mantendo o direito das aulas 100% on-line para aqueles que julgarem ser a melhor forma para seu filho. Atualmente, está permitido no município apenas aulas semipresenciais para alunos da educação infantil.

Os pais de alunos reclamam que há quase 500 dias sem aulas, e a situação é insustentável. “É o comprometimento de toda uma geração, os danos são irreparáveis, afirmam os cientistas. Os pais querem com esta manifestação, que Ipiaú siga o que vem acontecendo nos outros Estados da federação, muitos com aulas presenciais desde o ano passado, até mesmo no nosso Estado, cidades como Salvador, Mata de São João, Vitória da Conquista, entre outras que já retornaram às aulas presenciais. Esse retorno é necessário e urgente. A presença de todos os pais é de fundamental importância. É hora de valorizarmos o que realmente é essencial, a educação de nossos filhos”, comentou um dos organizadores da manifestação.

Projeto Piloto 

No último dia 05 de julho teve início em Ipiaú o Projeto Piloto do retorno gradativo escalonado das aulas presenciais em 7 escolas da rede privada. O Projeto Piloto tem vigência de 30 dias e a participação das escolas no projeto é facultativa, assim como das crianças, que devem ser autorizadas pelos seus responsáveis, e dos profissionais de educação. Apenas as turmas da educação infantil estão liberadas para participar neste primeiro momento.

Estudo da Fio Cruz

A probabilidade de uma criança ser infectada por um adulto com Covid-19 é maior que a chance dela passar o vírus para outras pessoas. A conclusão foi divulgada em março desse ano pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), um dos laboratórios da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

O estudo analisou dados de 323 crianças (de 0 a 13 anos), 54 adolescentes (14 a 19 anos) e 290 adultos, entre maio e setembro de 2020. Todos são moradores da comunidades de Manguinhos, bairro da Zona Norte do Rio, onde a Fiocruz está sediada. De acordo com os cientistas, apenas 45 crianças testaram positivo para o novo coronavírus (13,9% do total).


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up