Giro Ipiaú

UDV celebra 60 anos de existência e motiva o Dia da Paz e da Conciliação

Foto: Reprodução

O Centro Espírita Beneficente União do Vegetal (UDV) está inteirando, nesta quinta-feira, 22 de julho, 60 anos de existência. Religião cristã reencarnacionista a UDV reconhece Jesus como o Salvador da Humanidade. Criada no dia 22 de julho de 1961, em plena Floresta Amazônica, pelo seringueiro José Gabriel da Costa – “Mestre Gabriel” -, um baiano nascido no município de Coração de Maria, região de Feira de Santana, esta instituição religiosa tem por objetivo o desenvolvimento intelectual, moral e espiritual do ser humano, e por missão grandiosa realizar uma paz no mundo.

Crescendo de maneira firme e sustentada desde sua criação, o Centro Espírita Beneficente União do Vegetal conta atualmente com mais de 22 mil associados de 123 diferentes nacionalidades e está presente em 11 países: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Peru, Portugal, Espanha, Reino Unido, Suíça, Itália, Holanda e Austrália.

Em Ipiaú a UDV é representada pelo Núcleo Amor Divino, sediado na rua José Gabriel da Costa, 01 – Vila Irmã Dulce, desde o dia 07 de setembro de 2005 e tem na condição de Mestre Representante, o Sr. Carlos Alberto Almeida. No Núcleo Amor Divino congregam mais de uma centena de sócios, provenientes de diversos segmentos da população ipiauense e de outros municípios, a exemplo de Jequié, Jitaúna, Maracás, Boa Nova e Ibirataia.

UTILIDADE PÚBLICA

Em decorrência dos trabalhos voltados à beneficência dos seus sócios, bem como dos moradores da Vila Irmã Dulce e adjacências, a UDV recebeu o título de “Utilidade Pública Municipal, concedido pela Câmara de Vereadores, a qual, pela unanimidade dos seus membros, também aprovou o projeto de autoria do vereador Cláudio Nascimento – convertido na Lei n.º 2.355 de 08 de fevereiro de 2019- que instituiu no calendário do município o “DIA DA PAZ E DA CONCILIAÇÃO”, celebrado a cada ano, na data de 22 de julho, com atividades promovidas pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Educação e Cultura.

Em outros municípios e estados brasileiros, onde a UDV está presente, também foi instituído pelas Câmaras de Vereadores e Assembleias Legislativas, o DIA DA PAZ E DA CONCILIAÇÃO”. O principal objetivo da data é para que ela possa servir como um período de preparação ao dia 1º de janeiro, quando se comemora o Dia da Confraternização Universal.

A relação entre o Dia da Paz e da Conciliação (22 de julho) e o da Confraternização Universal (1º de janeiro) está em que a conciliação é o momento anterior e indispensável à confraternização entre os povos. É também uma atitude que auxilia praticar o ensinamento de Jesus, de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo (José Américo Castro / Paulo Gomes Novaes).

Anexamos um texto do escritor Edson Lodi, discípulo de Mestre Gabriel, que retrata poética e objetivamente, o sentimento dos membros do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. Confira o link.

“No alto de uma árvore no Seringal Sunta, na fronteira do Brasil com a Bolívia, avista-se uma rústica antena de rádio. Aquele aparelho, que para economizar pilhas era ligado apenas pela manhã e à noite, era o principal transmissor das notícias do mundo para a família de Mestre Gabriel e de tantos outros, seringueiros como ele.

Era 1961, e o mundo andava conturbado. A paz parecia estar em seus estertores, sonho improvável que se diluía na guerra fria travada entre os Estados Unidos da América e a União Soviética, então na iminência de um conflito atômico. O muro de Berlim será construído em agosto, e famílias, amigos, corações serão separados pela fria intolerância.

É nesse momento que, no silêncio de uma floresta, um homem, senhor de si, consciente de sua missão, prepara o porvir, a esperança dos povos de todas as raças. Enquanto grande parte da humanidade se fechava em suas fronteiras de medo e opressão, José Gabriel da Costa cria a União do Vegetal na claridade do dia 22 de julho de 1961. E o faz dentro dos sagrados mistérios da natureza divina.

Anos antes, em 1959, na década que havia assistido à guerra e à separação entre os povos irmãos das Coreias do sul e do norte, o seringueiro Gabriel se reencontrara com o Vegetal – conhecido à época como Daime, Cipó, Mariri, Cinema de Índio, Ayahuasca etc. – pelas mãos de outro seringueiro, o Chico Lourenço. E juntamente com a sua companheira, Mestre Pequenina, e a sua família reinicia sua história de amor e comprometimento com a Hoasca, e com todos os homens e mulheres que buscam por uma vida mais fraterna, de paz e de conciliação.

Enquanto os homens, movidos pela ganância desenfreada, disputavam a conquista do espaço sideral, Mestre Gabriel trabalha em silêncio. Impulsionado pela clarividência da Hoasca e do Grande Rei Salomão, amplia sua consciência, seu céu interior, ornado pela estrela da sabedoria.

A União do Vegetal completa 60 anos. Religião sincera, refletindo o sentimento de seu Criador, Mestre Gabriel. E com a alegria de que meu coração é capaz, cerro meus olhos de pequeno aprendiz, de mais um discípulo desta Sagrada Ordem, e agradeço por todas as pessoas que penetram em seu espaço interior para perceber a beleza da Criação; por cada um que soube romper as duras pedras dos muros das fraquezas humanas, agradeço. E, enfim, agradeço por todo aquele que ao beber na fonte do Mestre, de seu Sagrado Coração, estende suas mãos para unir-se ao batalhão desta obra, fortalecendo o mundo de Luz, Paz e Amor, este símbolo de perfeição, símbolo da União do Vegetal.”


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up