Giro Ipiaú

Sublime homenagem em memória de Rogério Ferrari foi realizada em Ipiaú

Rogério faleceu no dia 19 de julho.

O último domingo, 25 de julho de 2021, ficará marcado na história de Ipiaú como o dia em que as cinzas do antropólogo e fotojornalista Rogério Ferrari se juntaram à paisagem local, adubando um secular jequitibá, e purificando-se nas aguas do Rio das Contas. Foi a primeira vez que uma cerimônia desse tipo acontece neste município. O corpo do fotojornalista foi cremado na manhã de quarta-feira, 21, no Cemitério Campo Santo, em Salvador. Ele faleceu na tarde do dia 19 (ver matéria).

Foto: Marconi Motta

Momentos antes de as cinzas serem espalhadas, parentes, amigos, militantes do MST, conterrâneos e admiradores de Rogerio, promoveram um ato no salão do plenário da Câmara Municipal de Ipiaú, rememorando sua importância para a cultura baiana e a grandeza da sua simplicidade. Música, poesia, pronunciamentos revelaram o tanto que lhe queriam bem.

Foto: Marconi Motta

Por volta das 16 horas o primeiro punhado das cinzas foi espalhado sobre o rio, pelo advogado Paulo Andrade Magalhães (Paulão) e o comerciante Adenilson Pereira da Silva (Chita).

Foto: Marconi Motta

Na sequência, às 17 horas, foi a vez do coordenador do MST, Pascoal Andrade, depositar outro punhado sob a copa do grande jequitibá que se destaca na vegetação do Assentamento Carlos Marighela. Na oportunidade, Pascoal assegurou que no local serão plantadas flores para que a memória de Rogério seja marcada por um jardim bem bonito. (Giro/José Américo Castro).


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up