Giro Ipiaú

Abate de frangos e suínos e produção de ovos na Bahia batem recordes no 2º trimestre de 2021

Foto: Jonas Oliveira

No 2º trimestre de 2021, os abates de frangos e suínos bateram recordes na Bahia para as suas respectivas séries históricas, iniciadas em 1997. De abril e junho, o abate de frangos no estado foi de 33.938.968 animais, 2,2% acima do antigo recorde, registrado no 1º trimestre deste ano (33.209.050). Já frente ao 2º trimestre de 2020 (30.633.631), o número foi 10,8% maior.

Em todo o Brasil, no 2º trimestre de 2021, foram abatidas 1,524 bilhão de frangos. O número representa uma queda de 3,0% frente ao trimestre anterior (1,572 bi), mas um aumento de 7,8% frente ao mesmo trimestre de 2020 (1,414 bi). A Bahia é o nono maior produtor de frangos do país, responsável por 2,2% do abate nacional. O estado que lidera é o Paraná, com 33,7% do total nacional.

Já em relação aos suínos, no 2º trimestre de 2021, 48.422 animais foram abatidos na Bahia. O recorde anterior do estado era do 4º trimestre de 2020, quando 44.822 animais haviam sido abatidos. O resultado do 2º trimestre foi 11,9% superior ao do trimestre anterior (43.286) e 46,5% maior que o do 2º trimestre em 2020 (33.056).

No Brasil, o abate de suínos também bateu recorde no 2º trimestre de 2021, com 13,040 milhões de animais abatidos. O número foi 2,9% superior ao do 1º trimestre (12,668 milhões) e 7,6% maior que o do 2º trimestre de 2020 (12,116 milhões).

A Bahia é o 10º maior produtor do Brasil, com 0,4% do total de suínos abatidos no país. Santa Catarina lidera, com 28,5% do total nacional.

Produção de ovos também bate recorde no estado, no 2º trimestre

A produção baiana de ovos de galinha no 2º trimestre de 2021 também bateu o recorde na série histórica do IBGE, iniciada em 1987, ficando em 18,2 milhões de dúzias. Este número representa um aumento de 1,0% frente ao recorde anterior, do 1º trimestre de 2021 (18,0 milhões de dúzias), e de 29,3% em relação ao 2º trimestre do ano passado (14,1 milhões de dúzias).

Em todo o país, a produção de ovos de galinha foi de 985,7 milhões de dúzias no 2º trimestre de 2021. Houve aumento de 0,5% em relação ao trimestre imediatamente anterior (980,6 milhões) e de 0,9% frente ao 2º trimestre de 2020 (977,3 milhões). Foi a maior produção em um 2º trimestre desde 1987.

São Paulo segue como maior produtor de ovos do país, com 27,5% do total nacional no 2º trimestre de 2021. A Bahia fica em 12º lugar, com 1,8%.

Produção de leite na Bahia tem o melhor 2º trimestre da série histórica

A aquisição de leite cru na Bahia foi de 147,0 milhões de litros no 2º trimestre de 2021, apresentando uma queda de 7,9% em relação ao 1º trimestre (159,7 milhões de litros), mas um crescimento de 9,1% frente ao 2º trimestre de 2020 (134,7 milhões de litros).

Este foi o melhor resultado para a produção baiana de leite em um 2º trimestre desde 1997, quando se iniciou a série histórica da Pesquisa Trimestral do Leite, do IBGE.

No 2º trimestre de 2021, a aquisição nacional de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal) foi de 5,81 bilhões de litros. Houve queda de 11,4% em relação ao trimestre imediatamente anterior (6,56 bilhões) e de 1,0% em comparação com o 2º trimestre de 2020 (5,87 bilhões).

A Bahia é o sétimo maior produtor de leite do Brasil, respondendo, no 2º trimestre de 2021, por 2,5% do leite adquirido no país. Minas Gerais segue liderando amplamente a aquisição de leite, com 24,7% do total.

Abate de bovinos na Bahia tem o menor resultado para um 2º trimestre desde 2006

No 2º trimestre de 2021, foram abatidas 224.790 cabeças de bovino na Bahia, em um aumento de 4,0% frente ao 1º trimestre (216.163 cabeças), mas em uma queda de 7,2% frente ao 2º trimestre de 2020 (242.320 cabeças). Foi o menor resultado para o estado para um 2º trimestre em 15 anos, desde 2006.

No Brasil, no 2º trimestre de 2021, foram abatidas 7,07 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária, menor resultado para um 2º trimestre desde 2011. Essa quantidade foi 7,4% superior ao trimestre imediatamente anterior (6,59 milhões), mas 4,4% inferior à registrada no 2º trimestre de 2020 (7,40 milhões).

A Bahia é o 11º maior produtor de carne bovina do país, representando 3,2% do abate nacional. Mato Grosso continua liderando, com 15,7% de participação no 2º trimestre do ano.

*Com informações da Agência IBGE Notícias.


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up