Giro Ipiaú

Amazon reduz para um dia o prazo mínimo de entrega no Prime

Foto: Reprodução/Pexels

A gigante do comércio eletrônico Amazon, de Jeff Bezos, revelou recentemente que realizará entrega de produtos em um dia e sem custos para todos os assinantes Prime. O prazo de entrega gratuito de produtos Amazon era de no mínimo dois dias até o anúncio realizado recentemente. 

A entrega de mercadorias em um dia também poderá ser utilizada por aqueles que não assinaram o serviço Prime se o cliente arcar com os custos. A novidade vem logo em seguida em que as Lojas Americanas, Magazine Luiza e Mercado Livre anunciaram que disponibilizarão entregas mais rápidas em todo o país. 

Até o momento, quem oferece o serviço de entrega de mercadorias online mais rápido no Brasil é a Magazine Luiza. Mesmo com o potencial de logística que a Amazon possui, a empresa de Bezos vai ser cautelosa, já que seus principais concorrentes no país possuem pontos físicos para uma distribuição imediata e o foco da empresa americana é na qualidade e confiança do serviço oferecido aos brasileiros.

O serviço de entregas com prazo de um dia oferecido pela Amazon já está disponível para clientes em 50 cidades brasileiras. Ao todo, a companhia norte-americana atende 700 cidades somente no Brasil. Entre as cidades listadas para recorrer ao serviço de entrega imediata de mercadorias da Amazon, São Paulo, Recife, Brasília e Porto Alegre são algumas delas.

Produtos e serviços

Atualmente, a Amazon oferece mais de 40 categorias de produtos focados no mercado nacional. A gigante do e-commerce oferece desde itens de supermercado, eletrônicos de ponta e best-sellers, a produtos digitais, como ebooks, além de seu serviço de streaming que cresce a cada dia entre os assinantes brasileiros. 

Com 700 entidades e uma variedade grande de produtos entregues com prazos satisfatórios, a companhia não tem previsão de lojas físicas ou centros de distribuição no país.

Como a companhia norte-americana vai superar a concorrência local?

A gigante estrangeira tem como principal estratégia os investimentos em tecnologia e logística. Já a realidade das empresas brasileiras não segue o mesmo ritmo, com exceção das empresas que hoje lideram as vendas no comércio eletrônico.

Dessa forma, a Amazon parte da premissa de que oferecendo um serviço de qualidade, com entregas imediatas e não frustrando os clientes, conseguirá “abocanhar” bagatelas cada vez maiores das vendas no país.

Especialistas do Centro de Excelência em Varejo da FGV entendem que as práticas no Brasil podem ser dificultosas para empresas estrangeiras com grande potencial de distribuição, como é o caso da Amazon.

Além das limitações de infraestrutura, os especialistas estão cientes de que a burocracia e as taxas incluídas em produtos vindos de fora ante as marcas nacionais, é o motivo por diversas empresas terem abandonado o Brasil.

O Walmart é uma das empresas que a pouco tempo deixou o país por dificuldades burocráticas e altas taxas de operação no país. No entanto, um poderoso case de sucesso é o do Mercado Livre, que consolidou a sua marca entre os brasileiros apesar de ser uma empresa argentina. 

Futuro próspero

Hoje, a companhia norte-americana já consolidou sua marca entre os brasileiros e projeta um crescimento ainda maior mediante a estratégia de adaptação. A empresa vem com essa novidade de entrega rápida e pretende atingir status ainda mais elevados com novidades relevantes ao consumidor local. 

A Amazon é confiável quando mencionada em pesquisas de satisfação em todos os países em que opera. Aqui no Brasil não difere, e a capacidade de expandir ainda mais sua marca entre os brasileiros deverá ocorrer também através de novos serviços.

No momento, a companhia estrangeira é detentora de 10% da bagatela de mercado de todas as compras realizadas no e-commerce, segundo dados recentes extraídos da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.

A companhia teve um faturamento de US$ 7,8 bilhões com as vendas no Brasil ao longo do segundo trimestre deste ano. Ainda que esse resultado esteja abaixo das expectativas da companhia, ele representa um crescimento de 27% na comparação com o mesmo período de 2020. 

Para consolidar sua presença no país e elevar esse percentual de vendas, uma das estratégias que a companhia discute é realizar parcerias com empresas locais e investir em um centro de distribuição futuramente, mas isso ainda são especulações e nada está definido.


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up