Giro Ipiaú

Psicóloga dá dicas de como ajudar alguém que perdeu um ente querido

Psicóloga Rita Januário

Ao perder alguém que amamos, várias situações e receios são vividos pelos familiares. Muitos desses, entrarão em um processo de luto e cada um terá a sua maneira de superar essa fase. O importante é não evitar o luto e sim vivenciá-lo, pois é algo natural e importante de ser trabalhado. Cada pessoa passa pelo luto de forma diferente e felizmente existem várias maneiras de apoiar alguém nesse momento. Lidar com alguém que acabou de perder um ente querido não é um algo fácil, afinal, como saber exatamente o que fazer e dizer num momento de dor? Como externar o seu apoio de uma forma que a pessoa se sinta confortável e segura em poder contar com você? 

Compreenda o luto

A palavra luto tem origem no latim,” luctus”, significa aflição, pesar, dor. O processo é bem difícil e envolve questões emocionais, psicológicas e, em alguns casos, tem consequências físicas também.

Para lidar de uma forma mais consciente com esse momento, é importante conhecer as cinco fases do luto: negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. Elas não são lineares, varia muito entre as diferentes pessoas e diferentes experiências vividas.

Superar a dor do luto pode ser difícil, mas quando o compreendemos, passamos a observar os nossos sentimentos e os sentimentos de nossos familiares com mais humanidade, pois todas essas etapas fazem parte do processo de enlutamento e o importante é não se desesperar e compreender que tudo é necessário, mesmo a tristeza, pois a cada fase aprendemos mais e mais com nossos sentimentos.

Corre-se o risco de não superar 

O luto é um momento de reformulação, elaboração do sentimento e retorno à vida. Se a pessoa perde algo ou alguém importante e não se deixa passar por esse momento, provavelmente, correrá o risco de não superar a situação. Por consequência, muitos de seus temores podem ficar recalcados e, a qualquer momento, interferirão em decisões, estratégias, planejamentos e novos relacionamentos.  Reconstruir-se, aceitar, continuar sua vida, retomar sonhos e desejos. Esses são pontos fundamentais para dar sentido à vida, mesmo com a falta de um ente muito querido. Quando o luto não é vivido, a pessoa se estagna e, provavelmente, ficará conectada a uma das fases do luto, as mais comuns, nesse caso, são a de raiva ou negação. 

As boas memórias

As boas memórias são fundamentais para que o sentimento de gratidão seja vivenciado. Se nós agradecemos diariamente, treinamos nosso cérebro para perceber aprendizados positivos, mesmo nos acontecimentos mais difíceis. Essa é uma situação que ocorre quando lidamos com as memórias. Após a fase do luto, não precisamos evitá-las, mas sim aceitá-las para sermos gratos por termos vivenciado momentos importantes com a pessoa que faleceu. Esse sentimento é transformador e é o luto que nos ensinará a lidar com as memórias da melhor maneira.

Algumas recomendações para ajudar alguém que acabou de perder um ente querido

. Tome cuidado com os termos

É comum que no dia a dia você utilize involuntariamente o termo “como você está?” ao falar com uma pessoa ou até mesmo um “você vai se recuperar logo” quando se depara com alguém em uma situação difícil. Porém, para alguém que acabou de perder um ente querido, isso pode soar como descaso e indiferença. Portanto, tente evitar termos clichês. Opte por “sinto muito pela sua perda”, assim você demonstrará empatia e sensibilidade pelo momento. 

.  Não cobre força nesse momento“Ele não queria te ver desse jeito”, “você deve ser forte”, “a sua família precisa de você, tente ser forte”: essas são as frases mais utilizadas no momento da perda. Porém, por mais que sejam ditas com as mais boas intenções, podem causar ainda mais dor para o enlutado. Cobrar força da pessoa que acabou de perder alguém querido é desrespeitar o momento que deverá ser superado naturalmente

.  Encontre o melhor momento para se aproximarAntes de abordar a pessoa, verifique se ela está em uma situação adequada e confortável para poder conversar. Pode ser que naquele momento ela esteja muito fragilizada e prefira ficar sozinha. Por isso, faça o possível para que a pessoa se alimente e esteja adequadamente confortável, sem invadir o seu espaço. No momento em que ela estiver pronta e segura para o diálogo, ela o fará.

. Seja gentil e ofereça ajudaNormalmente as pessoas que perdem um ente querido ficam tão preocupadas com aquela situação e tomadas pela dor que dificilmente se lembrarão de pedir favores, ainda que sejam extremamente necessários. Em alguns casos, é comum que o enlutado se esqueça dos cuidados básicos, como comer. Portanto, seja proativo de uma forma gentil, ofereça ajuda, fique com as crianças se necessário, prepare uma refeição, ofereça carona a outros parentes. Algumas atitudes demonstram segurança e conforto mais do que qualquer palavra. 

. Ofereça seus sentimentos. Quando souber do falecimento, tente entrar em contato com o conhecido ou amigo ou se estiver longe, mande uma mensagem até conseguir ir visitá-lo, já que é imprescindível que você esteja ao lado dele. Nesse momento, não é preciso dizer muito, “sinto muito pela sua perda” já é o suficiente. Também comprometa-se a entrar em contato com o seu amigo ou conhecido em outro momento, para que ele se sinta seguro de que você estará por perto caso ele precise. 

. Optar pelo silêncio pode não ser uma boa opção. Quando se há dúvida sobre o que dizer, muitas pessoas optam pelo silêncio. Em todo caso, nenhuma palavra será realmente o suficiente para amenizar ou impedir que a pessoa passe por essa dor. Todavia, o simples fato de demonstrar empatia e solidariedade, dizendo poucas palavras de conforto, pode acalentar e demonstrar que nesse momento poderão contar com você. 

. Tenha uma escuta ativa. No fim das contas, estar por perto é o que importa. Pessoas em luto tendem até a se isolar e evitar entrar em contato para dizer como se sentem, mas, em todo caso, elas querem e precisam ser ouvidas. Disponibilize-se para ouvi-las, escute sem julgamentos, elas precisam compartilhar suas lembranças em voz alta com alguém que esteja interessado em ouvi-las.

 Na dúvida, a melhor coisa a se fazer nessas situações é ser compreensivo e empático. Tente agir com solidariedade, coloque-se no lugar da pessoa e faça o que você queria que fizessem caso fosse você nessa situação. Quando se perde alguém, há sempre um processo difícil, mas existem maneiras de lidar e amenizar a dor. 

Autora: Psicóloga Rita Januário

Clínica Positivamente

IPIAÚ E UBATA

73981122555


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também