Giro Ipiaú

Ponte improvisada na BA-549 não oferece segurança e moradores da região seguem com dificuldades para acesso a BR-330

Ponte de madeira improvisada na Baixa Alegre

Centenas de pessoas das comunidades de Santa Teresinha, Itaibó e Córrego de Pedras que respectivamente pertencem aos municípios de Jitaúna, Jequié e Ipiaú, pedem urgência ao Governo do Estado para a reconstrução da ponte sobre o riacho Córrego de Pedras, que foi destruída pela chuva torrencial verificada no final do ano passado. Para continuarem se deslocando até as sedes desses municípios, eles têm usado atalhos ou outras vias que tornam o trajeto mais longo e dificultoso.

Os condutores de automóveis e veículos pesados não se arriscam a fazer a travessia na improvisação de madeira instalada para substituir a antiga ponte e permitir a continuidade do trânsito naquele trecho da BA-549 que faz ligação com a BR-330, na região da Baixa Alegre.

O arremedo decorrente de uma iniciativa do ex-vereador José Orrico, o popular “ Bafafá”, residente no distrito de Santa Teresinha, não oferece a mínima segurança aos automóveis e demais veículos, excetuando motocicletas, bicicletas e animais de montaria ou carga.

Os carros que se aventuraram a passar por lá não foram bem-sucedidos. O peso de um deles fez algumas tábuas cederem e por pouco não acontece um acidente. Alguém que presenciava a cena comentou que não se pode fazer “fiança” nessa ponte. “Ponte de doido… não tem como carro passar”, definiu.

Apesar da boa intenção de Bafafá e seus companheiros, a obra realizada no improviso não resolve o problema. A ponte de concreto tem que ser reconstruída, o mais rápido possível, para as famílias poderem escoar a produção agrícola e trafegar com seus carros, e até socorrer os doentes.  (Giro/José Américo Castro).


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também

Scroll Up