Giro Ipiaú

Na Câmara de Ipiaú, Secretária Laryssa Dias explana sobre o Tratamento Fora do Domicílio

Laryssa Dias – Secretária de Saúde

Atendendo um requerimento do vereador Cleber Gadita, a secretária de Saúde de Ipiaú, Laryassa Dias, compareceu à Câmara Municipal, na sessão ordinária da última quinta-feira, 12, para explanar sobre o Tratamento Fora do Domicílio (TFD) que é um instrumento legal do Ministério da Saúde que visa garantir atendimento médico-hospitalar, através do SUS, a pacientes portadores de doenças não tratáveis no município de origem.

Na oportunidade, a secretária explicou como funciona o serviço, detalhou seus critérios, disse das especialidades, números de atendimento, logística, hospedagem, contribuições do município e outras informações que serviram para dirimir dúvidas dos vereadores e do público que acompanhava a sessão. Laryssa ocupou a Tribuna Livre da Câmara trajando um jaleco de enfermeira, homenageando assim a categoria a qual pertence.

Valores

Ao ser indagada pelo vereador Cleber Gadita, quanto a insignificante ajuda de custo destinada a alimentação dos pacientes e acompanhantes durante os deslocamentos e pernoites para o tratamento fora de domicilio, ela esclareceu que o valor é determinado pelo Ministério da Saúde, reconheceu a insuficiência para uma alimentação adequada, e adiantou que solicitará um estudo de impacto financeiro para ver se o município pode entrar com uma contrapartida que venha melhorar a situação.

O valor destinado a cada paciente e a cada acompanhante é de R$ 8,40, entretanto quando tem pernoite essa ajuda de custo sobe para R$ 24, 75, a cada dia de atendimento. A secretária informou que sua pasta recebe a cada mês do Ministério da Saúde, um valor mensal de R$9.252,00 para atender a uma demanda cada vez mais crescente. “É um valor muito pequeno para que possamos distribuir entre todos pacientes”, destacou Laryssa.

Viagens

A secretária informou que 130 pacientes estão cadastrados no serviço em Ipiaú, sendo que 77 são submetidos a tratamento oncológicos, 27 de hemodiálise e 28 de outros diagnósticos.

Na modalidade intermunicipal a viagem para tratamento tem dentre outros destinos as cidades de Jequié, Ilhéus, Vitória da Conquista, Nazaré, Feira de Santana e Salvador. Na modalidade interestadual, a cargo da Sesab, são sete pacientes em Ipiaú.

Somente nos três primeiros meses deste ano foram 1007 viagens e 4. 837 pacientes transportados. As viagens são feitas de ônibus, ambulância e automóveis. A escolha pelo meio de transporte é definida pelos médicos de acordo com a morbidade de cada paciente. Os deslocamentos dos pacientes da modalidade interestadual são feitos por via aérea.

Avaliação médica

A secretária ainda explicou que o paciente também precisa estar amparado legalmente por uma avaliação médica e encaminhado pelo médico especialista habilitado para ser atendido pelo serviço em outro município ou Estado. E também precisa estar cadastrado no SUS.

“A partir desta avaliação, o paciente precisa preencher o formulário TFD do município, anexar o laudo médico do especialista correspondente e dar entrada no serviço, para ser atendido e submetido por um especialista médico da regulação, que vai avaliar o quadro clínico e indicar o transporte necessário”, acrescentou.

Perguntas sobre o TFD e outras ações da Secretaria Municipal de Saúde também foram feitas pelos vereadores Naciel Ramos, Claudio Nascimento, Andreia Novaes, Beto Costa, Ivonilton Conceição e Edson Marques. Todas elas foram devidamente respondidas pela secretária Laryssa Dias. (José Américo Castro).


Curta e Compartilhe.

Deixe um Cometário


Leia Também